Beatriz Bertanha fala sobre sua paixão pelos 3 tambores

Beatriz Bertanha, competidora dos três tambores e parceira da Cavalaria Shop, competiu na prova da Expoagro em Franca-SP, e nos contou um pouco sobre sua trajetória.

 

Como surgiu a paixão pelo esporte?

“Eu sempre fui apaixonada por cavalos. Desde muito pequena já montava, só que ainda na roça. Nunca cogitei a hipótese de participar de qualquer modalidade equestre, até conhecer as Corridas Hípicas Regionais. Por ser uma tradição na nossa região, já havia ouvido inúmeros relatos sobre esse esporte. Até que se montou o time de Ribeirão Corrente e minha avó me levou pela primeira vez para assistir uma corrida. De início eu não conseguia entender muita coisa, mas já sabia que queria aquilo para minha vida. Depois de algum tempo, o proprietário da Estância Montanher (que é onde situa-se o Clube Hípico de Rib. Corrente) abriu a chamada “Escolinha Hípica”, para oferecer a vivência com os animais e também para fomentar novos competidores. Partindo do pressuposto de que eles ensinariam as modalidades das corridas hípicas, lá fui eu, mas na realidade as aulas eram de três tambores. Apesar de naquele momento eu não conhecer absolutamente nada sobre essa modalidade, eu já gostei e com o passar dos treinos fui sentindo que queria aquilo para minha vida. De início eu treinava em animais disponibilizados pela estância e depois de algum tempo ganhei minha égua, a qual estamos juntas até hoje. Os três tambores vai além de toda a esfera competitiva. Particularmente falando, é uma superação a cada dia, uma enorme realização pessoal ao superar minhas dificuldades e isso é o mais fascinante nesse esporte.”

 

Qual sua rotina de treino?

“Os três tambores exige grande seriedade, pois lidamos com animais e eles são verdadeiros atletas. Por isso, com recomendação veterinária, monto todos os dias (num tempo de 20 a 25 min) a fim de preparar minha égua fisicamente.”

Como você prepara o cavalo antes das provas?

“O trabalho de preparação é contínuo. Apenas se torna um pouco mais intenso, na semana que antecede a data da prova. Geralmente treino no tambor, somente para acertar alguns detalhes, já que no dia-a-dia não costumo o fazer.”

 

O que passa na sua cabeça antes de entrar na pista?

“No momento do aquecimento procuro me concentrar ao máximo. Geralmente o que me ajuda a não dispersar é manter meu pensamento fixo na minha tarefa e reconhecer a minha capacidade. Procuro também não me atentar aos tempos dos outros competidores, o que me faz entrar na pista livre da auto cobrança.”

 

Quais seus principais títulos nos três tambores?

“Nesse ano disputei o rodeio de Franca-SP e numa disputa muito acirrada consegui ficar em 5º lugar. Também fui campeã pela Copa Interior no Rancho Mariana. E pelo campeonato Agroserv também já me sagrei campeã pela categoria Jovem e Feminina. Infelizmente no ano passado fiquei sem competir, mas coleciono vitórias em várias cidades da região, como: Guaira, Sales de Oliveira, Buritizal, Batatais, Patrocínio Paulista, Ituverava, etc.”

 

 

Conte-nos sua história que nós divulgamos aqui! ([email protected])